Paleta de cores e armário-cápsula: Último outono/inverno

Nesse último outono/ inverno eu fiquei meio viúva…usei muito preto hehehe! Eu detesto frio e por isso nunca investi em muitas peças para estas estações. Aqui no Rio de Janeiro os dias de frio intenso são poucos. Tenho apenas uma gaveta com blusas mais quentinhas e uns 3 casacos no cabide. Com relação aos calçados de inverno, tenho apenas uma botinha preta.  Analisando minhas roupas eu vi que já seguia uma paleta de cores sem querer.

A paleta de cores é o conjunto de cores que irão compor as peças do seu guarda- roupa. Ela não tem o objetivo de te prender e nem ditar nada, é obvio que isso é uma coisa flexível. Ao utilizá-la você irá poupar tempo na hora de combinar peças, dinheiro (Já comprou alguma coisa e não conseguiu usar por que não combina com nada?) e espaço, tendo mais roupas que combinam entre si não será necessário ter tantas peças.Eu senti que estava fácil me vestir e até lavar a roupa (conseguia separar em claras, escuras e brancas), tudo estava em harmonia.

Minha paleta de cores ficou assim: vinho, preto, azul marinho, azul royal, tons mais claros de  jeans e cinza.

paletadecores_outinv2016

Poucas peças saíram dessas cores. Pensei até em comprar algo caramelo para dar uma clareada no visual, mas como eu estou tentando ficar sem comprar até acabar o período de destralhe, vou esperar o próximo inverno. Quase comprei uma calça jeans escuro também, tenho duas que não estavam me servindo. Depois que comecei a emagrecer elas já entram, mas ainda não estão confortáveis. No próximo inverno já tenho mais duas calças para usar.

Além de ter roupas que facilmente combinam entre si, ter uma meia calça preta fio 40, que é mais grossa, me ajudou muito. Consegui usar vestidos curtos de verão com ela nos dias menos frios.

Tenho mudado também a forma que escolho meus calçados. Eu sempre gostei de colocar uma cor no visual através deles. Já fui viciada em Melissas e tinha uma de cada cor. Ter calçados coloridos é lindo, só não é prático. Eu tenho sapatilhas e sandálias verde, amarela, vinho, prata, dourada, florida…um arco-íris muito louco e várias vezes me via “sem nada para calçar”. Desde que comecei a investir em itens na cor preta ficou mais fácil me vestir e combinar peças. Estou amando meus pretinhos!

calcadospreto

A qualidade do que compro é outro fator que tenho levado em consideração, eu achava  que não tinha dinheiro para comprar produtos de qualidade (que geralmente são mais caros) até eu perceber que juntando o preço de itens baratos que  duram menos eu poderia comprar algo mais durável. Tenho uma sandália de couro que é eterna! Na verdade não quero que minhas coisas durem 50 anos, mas algumas peças merecem um investimento a mais.  O minimalismo me ensinou que é melhor ter menos, com mais qualidade.

Com estas pequenas mudanças eu estou me preparando para ter um guarda-roupa minimalista, prático e apenas com peças que amo. Não quero ser precipitada e fazer tudo de qualquer jeito só porque está na moda ter um armário-cápsula (esse link aqui explica tudo de um jeito bem fácil). Eu havia até tirado várias coisas e guardado para reduzir o número de peças no meu armário. Acabou que eu achei que estava sem roupa para usar e quase comprei peças que já tenho.

No Brasil, onde o clima muda o tempo todo, fica difícil separar as peças por estação e guardar todo o resto. Tive que sair procurando um monte de coisas que eu tinha “escondido”, eram  peças úteis que eu estava precisando por conta de uma mudança de clima inesperada. Aprendi que não é só escolher 37 peças por estação, eu preciso de mais tempo para me organizar.

Quero que essa seja uma mudança para a vida toda e quero que minha filha cresça com esse senso de organização e praticidade também. Como todo o resto, quero que tudo isso seja parte da minha rotina, da minha vida, estou construindo um estilo de vida para mim e para a minha família. Ter um armário minimalista irá me dar mais tempo e dinheiro para as coisas que realmente importam.

5 dicas de uma pessoa normal para começar a emagrecer

seameblog3Eu não sou nenhuma musa fitness (hehehe não mesmo), mas nesse último mês aprendi muito com o início da minha dieta. Já li muitas dicas de pessoas famosas, mas a maioria não se encaixa com a vida de uma pessoa “normal”.  Há muitos anos venho lutando para iniciar o processo de emagrecimento e ter uma vida mais saudável e só agora cuidando da minha filha eu percebi como isso é realmente importante. Ela não fica doente e isso fez com que uma luzinha se acendesse em mim.

Com alguns alertas relacionados a minha  saúde (falta de cálcio nos ossos e má circulação) veio também a indicação dos médicos: Eliminar o sobrepeso e…exercício!

Comecei o projeto Me Minimizando com o desafio de setembro e  foi um sucesso! Aqui deixo algumas coisas que aprendi com esse recomeço…

Planeje! Pense o seu cardápio da semana com antecedência, compre o que será usado. Repita o cardápio se necessário, isso facilita a sua vida e não tem problema algum. Fazer dieta não é caro como muitas pessoas falam. Só é caro se você for ao mercado e comprar um monte de produtos industrializados que dizem ser bom para uma vida mais saudável. Legumes e vegetais são mais baratos que isso. Biscoitinhos, barrinhas, pães integrais e iogurtes não são tão legais como mostram nas propagandas. Faça a sua comida.

Cozinhe! Isso mesmo, cozinhe. Sei que muita gente não tem tempo, mas a comida pode ser congelada. Você pode congelar alguns legumes e verduras cozidos, carne pronta, feijão e fazer apenas um complemento no dia se necessário. Eu congelo tudo, até o pãozinho semi-integral que faço. Depois é só colocar 20 segundos no micro-ondas e eles ficam fresquinhos!

Faça exercícios! Isso tem sido o mais complicado para mim. Eu não quis investir em uma academia nesse começo, primeiro quero emagrecer e criar o hábito de comer melhor. Como eu só tenho de 6 às 7 da manhã para caminhar nem sempre estou disposta a acordar tão cedo mas tenho me esforçado. Você tem que fazer o que funciona para você, analise a sua necessidade e seu tempo, comece devagar. Acredito que muitas vezes erramos por ir com muita cede ao pote e com isso acabamos desistindo de tudo! Eu já perdi a conta de quantas vezes fiz isso.

Acorde cedo! Nossa, que maluquice eu falar isso…sempre odiei acordar cedo, mas tenho percebido os benefícios. Minha bebê acorda 9:30 e depois disso parece que um furacãozinho está passando pela casa. Resultado, não consigo fazer mais nada. Comecei a acordar às 7 em alguns dias e isso tem sido ótimo. Ainda preciso administrar melhor a hora de ir dormir. Minha vida inteira fui deitar tarde mas sei que isso não é saudável, estou mudando.  Acordando cedo eu consigo caminhar ou apenas fazer uma série de alongamentos em casa mesmo (achei esse no You Tube), consigo assistir um pouco de tv, escrever para o blog, olhar as redes sociais, ler e planejar meu dia. Como todo o resto, é um hábito que precisa ser incorporado na rotina.

Reclame menos, se ame mais e mude o que você pode.

Se ame! Gorda, magra, durinha, molinha, nova, velha…se ame! Reclame menos, se ame mais e mude o que você pode. Quando a gente se ama o processo de emagrecimento deixa de ser uma urgência ou exigência de terceiros e passa a ser um processo. Um processo de autoconhecimento, mudança de hábitos e um verdadeiro aprendizado. Nossa mente pode ser nosso pior inimigo, mas também pode ser uma grande aliada!

O importante é fazer tudo de forma consciente e com prazer. Nada de sacrifícios, quando estamos empenhados e motivados, vemos as coisas de forma diferente. Vá ao médico, leia sobre o assunto e tente adaptar tudo ao seu estilo de vida. Estamos aqui para sermos felizes e se algo está te incomodando, mude!

 

 

Pau que nasce torto, morre torto. Será?

Ontem meu dia foi um brinde a minha mudança. De manhã consegui acordar mais tarde já que estava tudo encaminhado. Fiz o almoço da minha filha no início da semana e congelei. Ela gosta de acordar tarde também e ontem dormimos até as 10:30 juntas.

Ela comeu a frutinha e enquanto ela brincava na cozinha eu arrumei a geladeira. Já venho minimizando essa parte da casa desde Julho, então foi fácil limpar. Tirei umas coisinhas que já estavam lá há algum tempo e aproveitei para separar o que precisava ser consumido logo e usei no meu almoço.

Quando acabei, dei o almoço da Bia. Uma delicia! Cantamos, rimos…pena que quando eu peguei o celular para gravar tudo ela parou. Bebês são como gatos…difícil de registrar. Dei banho nela, coloquei no berço e ela dormiu sozinha (ela já está acostumada e isso é ótimo para mim).

Aí foi minha hora de almoçar. Depois pensei em ver TV ou cochilar, mas mudei de ideia (essa era a Gabriela antiga pensando). Analisei melhor e resolvi terminar a cozinha, arrumar minha cama e juntar os brinquedos. Sobrou um tempinho para ver as coisas do Blog e Instagram. Mais tarde a Bia acordou e ficou brincando enquanto eu fiquei no computador. Uma paz, tudo organizado. Só não deu tempo de passar o aspirador de pó na casa. Me arrumei e fui levar a Bia para minha mãe antes de ir trabalhar (dou aula das 18h às 21h).

Cheguei lá e falei do blog, minha mãe riu. Ela tem me sacaneado sobre o Minimalismo…é tudo o que eu nunca fui. Contei alegre que estou arrumando minha cama agora.

Ela ficou espantada e perguntou: “Quantos anos eu venho lutando para você fazer isso e nunca consegui?”

Eu ri e respondi: “ Há 32 anos!”

Ela riu também.

Fui trabalhar e quando voltei meu marido estava brincado com nossa filha. Tudo arrumado. Eu disse que ia passar o aspirador, ele falou para eu fazer isso no dia seguinte e disse: “Calma meu amor, você não acha que está se cobrando muito com relação à casa ?”. Tive uma crise de risos!

Sério, quando que eu escutaria isso nessa vida? Sempre ouvi que sou bagunceira e até relaxada. Ouvir aquilo fez eu me sentir como se fosse outra pessoa. Não que eu tenha virado uma neurótica louca por arrumação, mas o jeito que tenho me comportado é tão absurdo comparado com antes que ele está ficando assustado.

Antes eu não conseguia porque não queria. Não me importava com a bagunça. Até tentava às vezes para diminuir os conflitos, mas não tinha um rumo. O Minimalismo além de me mostrar como vivemos de forma mais confortável em ambientes limpos, organizados e com poucas coisas, também me deu um caminho a ser seguido.

Depois disso tudo, fui tomar banho cantando a música “Pau que nasce torto” do grupo É o Tchan (hehehe). Fico feliz em estar quebrando alguns paradigmas!