Quantos esmaltes você precisa?

Desde novinha minha mãe sempre me ensinou a fazer tudo. Eu mesma faço a minha sobrancelha, me depilo, faço luzes e até arrisco e corto o meu próprio cabelo algumas vezes. Eu que faço a minha unha também. A primeira vez que fui a um salão foi há uns 3 anos e mesmo gostando da experiência, eu raramente utilizo os serviços de uma manicure.

Assim que fui morar sozinha comecei a montar a minha “caixinha de unha” e aos poucos ela foi crescendo…crescendo…até virar uma loucura! Percebi isso quando comprei um esmalte branco para fazer francesinha e quando cheguei em casa eu vi que já tinha aquela mesma cor na caixinha. Aquilo me deu um “click” e eu decidi que nunca mais compraria esmalte até eu usar tudo (super dramática! Hehe).

Isso aconteceu mesmo antes de eu começar a ler sobre o minimalismo. Eu olhei para aquele monte de esmalte e pensei no tanto de dinheiro que eu havia gastado com algo que eu raramente uso. Alguns já estavam vencidos há anos! Tem épocas que pinto a unha 2 vezes ao mês, mas também já passei uns 3 meses sem fazer por preguiça.  Com isso os esmaltes vão se acumulando, ficando grossos e vencidos.

Eu fiz uma pesquisa rápida no Google e achei no blog Loucas por Esmalte que com um vidro que tem em média 8 ml você consegue pintar as unhas umas 10 vezes (com camadas duplas). Dez vezes!! Eu odeio contas, mas tive que calcular o quanto que meus esmaltes podem render e descobri que com os 25 que tenho hoje eu posso ficar  uns 20 anos sem comprar mais. V.I.N.T.E. A.N.O.S! É claro que eles vão vencer antes disso, mas isso mostra o absurdo que é ter tantos esmaltes.

25 esmaltes

Meus esmaltes. 3 bases! Why?!?

Eu já tive muito mais e cheguei a 25 unidades depois que “parei” de comprar esmaltes em 2014. Na verdade, acabei comprando um Renda da Risqué que por ser básico uso mais e um de glitter dourado pra fazer uma coisinha diferente de vez em quando. Agora eu até fico namorando cores novas que vão saindo mas deixo para usá-las nas raras vezes que vou ao salão. Eu também comecei a pegar emprestado com a minha mãe, assim posso dar uma variada sem ter que comprar.

 

 

E hoje minha caixinha está assim:

caixinha de unha

 

Eu tenho arrumado meus esmaltes regularmente e vou jogando fora cores que já não combinam comigo (tinha um laranja horrível) e também aqueles que já venceram há muito tempo. Hoje mesmo achei um vencido desde 2005!

Eu fiz uma análise das cores que gosto mais e do que eu realmente uso e cheguei nesse número ideal pra mim:

1 base incolor

1 escuro (tipo o Black e o Café da Colorama)

2 rosas (um escuro e um claro)

2 vermelhos (um escuro tipo o Paixão e outro mais vibrante como o 40 graus, ambos da Colorama)

3 clarinhos (o Pétala Branca da Colorama para fazer francesinha, o Renda da Risqué e um nude tipo o Cappuccino também da Risqué)

1 excêntrico (para aqueles dias que eu quiser algo mais alegrinho)

Total: 10 esmaltes

Mesmo assim ainda é muito se você for seguir um padrão mais minimalista. Já vi uma moça que tem apenas 3 esmaltes.  Acontece que cada pessoa tem uma realidade, vontade e necessidade diferente. Na minha opinião, o importante é cortar o excesso e desperdício ao máximo dentro do que for possível. E você? Quantos esmaltes você precisa?

 

Não deixe as pessoas entrarem no seu mundo de paz

Quando digo isso me refiro às pessoas com energia pesada, negativa e tóxica.  Uma vez li que devemos nos afastar de pessoas negativas e desde então tenho tentado isso. Melhorou, mas é difícil. Muitas vezes elas são parte do no nosso dia a dia, são amigos ou familiares e isso torna tudo mais difícil.

Sempre chamei essas pessoas que só falam de seus problemas (e muitas vezes nos colocam neles) de “pessoas negativas”, mas de uns tempos pra cá comecei  a ver o termo “pessoas tóxicas”. O segundo termo faz mais sentido e é mais amplo. Elas nos contaminam, mudam o nosso estado de espírito e nos tiram de nosso eixo.

Leva muito tempo para mudarmos o jeito que pensamos, fazer ajustes na rotina e construir uma vida livre de estresse e pensamentos negativos. Aí vem aquela pessoa e…acaba com tudo! Eu já melhorei muito, demora para pessoas assim entrarem no meu mundinho de paz que venho construindo ao meu redor. Mas elas ainda entram, sem serem convidadas.

É um trabalho constante, a sua cabeça é a sua maior aliada. O jeito que você lida com essa situação faz toda a diferença. Você pode escolher apenas sucumbir a essa situação ou pode começar a agir. Aqui coloco algumas coisas que já faço e outras que eu ainda preciso aprender, se você tiver mais dicas, conta aqui pra gente.

A primeira dica e mais importante é…

Evite pessoas tóxicas. Tome controle da situação, aos poucos vá se afastando, diminua o contato. Eu já fiz isso com algumas pessoas e não me arrependo. Quando isso é possível o problema acaba aqui mesmo.

Agora, se não tem jeito e você tiver que enfrentar a fera pelo menos…

enfrentando_a_fera_minimalismo

 

 Aprenda a dizer “não”. Imponha-se sobre essas pessoas. Elas geralmente querem te forçar a fazer só o que elas querem. Eu sempre gostei de agradar a todos, fico mal se alguém se chateia comigo e por isso sempre fiz tudo pelos outros. Quando percebi que isso me fazia mal comecei a dizer “não” e isso mudou a minha vida. Esse foi só o primeiro passo, ainda preciso deixar minha mente mais forte e protegida contra pressão externa. Muitas vezes ainda faço coisas que não quero só para não me indispor com alguém.

Não fique falando delas.  Isso só interioriza a importância de uma pessoa que não merece a sua atenção. Não fale dela quando ela não estiver por perto. Quanto mais você falar, mais tempo será desperdiçado com alguém que não deveria. Assim ela estará fixamente na sua cabeça o que te causará mais pensamentos ruins e seu equilíbrio será comprometido.

Pare de seguir pessoas e páginas que postam muitas notícias ruins. Eu sei que não podemos ser alienados, mas eu não aguentava mais acordar de bom humor e quando olhava o celular via notícias de estupro, preconceito, corrupção, crianças e animais sendo maltratados. Aquilo não estava me trazendo beneficio algum. Parei de seguir tudo! Quando quero saber o que está acontecendo no mundo entro em um portal de notícias online ou assisto televisão.

Não preste atenção em tudo que eles falam.  Quando não tiver como correr, ouça a conversa seletivamente e tente fazer comentários positivos nas partes da conversa que requer a sua intervenção. Você também pode tentar mudar o tema da conversa para algo mais agradável.

Aceite que você não pode mudar o mundo. Você pode até tentar ajudar essas pessoas mas é importante perceber  que você não é responsável por salvar e mudar ninguém. Só faça se você puder lidar com isso, gastar energia com quem não quer só irá te estressar. Isso também vai depender do quanto essa pessoa é importante para você, às vezes vale a pena tentar.

Tente outras formas de liberação. Medite, caminhe, ouça música, escreva ou assista um programa leve. Essas são poderosas armas que liberam a nossa mente de pensamentos negativos. Durante o dia escuto música e canto junto, coloco Beyoncé e tento fazer as coreografias (hehe desastre!). Agora mesmo estou escrevendo e escutando esse vídeo aqui pra tentar descarregar as energias negativas da semana. Outra hora boa para tentar relaxar é antes de dormir. Eu imagino cenas de coisas que provavelmente nunca vão acontecer mas me trazem paz. Imagino uma praia paradisíaca, barulho de água, viagens a lugares que gostaria de visitar. Isso me acalma.

O segredo está em você.

Na verdade, o melhor mesmo é se cercar de pessoas agradáveis com assuntos que te interessam. Pode até rolar uma reclamaçãozinha aqui ou ali, ninguém é de ferro, mas tudo tem limite.  Priorize encontros com pessoas que sejam otimistas, alegres e felizes…mas lembre-se: O segredo está em você. Você decide se alguém irá interferir ou não no seu equilíbrio mental. Vamos tentar?

Estilo de Vida Minimalista

fd816fe94e486b9d8d2027dcb3c175e5

O Minimalismo que venho estudando, praticando e falando aqui no blog, é na verdade um estilo de vida. Ele anda para o lado oposto do Consumismo.

O que acontece é que desde que nascemos, vivemos bombardeados de anúncios e ofertas de produtos que quase nunca precisamos. São necessidades criadas pelos comerciais que nos deixam inquietos e insatisfeitos. Quem nunca disse “Eu PRECISO desse sapato!” mesmo tendo uns 10 em casa.  Vivemos nesse ambiente sem perceber o quanto isso tudo nos frustra e intoxica.

O que eu percebo e provavelmente você também, é que hoje em dia temos tudo e ao mesmo tempo não estamos felizes com nada. O que chamo de “tudo” seria um lar (próprio, alugado, casa da mãe, sogra…um teto), um emprego, temos tecnologia cada vez mais accessível e barata, uma infinidade de opções de roupas e calçados para todos os gostos e condições financeiras, tratamentos estéticos, mesmo assim falta alguma coisa…aquele vazio existencial nunca foi tão grande.

O minimalismo dá uma sacudida nisso, ele vem te mostrar que seus objetos não podem te dominar. Eles não podem consumir o seu tempo tão precioso, eles não podem tomar a sua casa e seu espaço te deixando sufocado.

Seus objetos estão aqui para te servir, auxiliar nas tarefas diárias, te dar prazer e até mesmo te fazer feliz! É uma delicia abrir um livro novo e passar horas lendo e imaginando os cenários da estória que está sendo contada…mas você precisa de 300 deles encaixotados, mofando, ou enchendo armários e estantes?

[O minimalismo] É uma espécie de curadoria de momentos e coisas, apenas o melhor será parte da sua história.

Foi aí que o minimalismo me pegou, ele não te ensina a se privar de nada, ele te ensina a ficar rodeada apenas do melhor. É uma espécie de curadoria de momentos e coisas, apenas o melhor será parte da sua história.

Pra quem viveu por anos acumulando objetos desnecessários e até tóxicos (por trazerem memórias desagradáveis), o minimalismo vem como uma purificação. Ele te ajuda a se desfazer do que não é benéfico para ficar apenas o que é útil, bonito e te faz feliz.

Com ele você minimiza…

Compromissos, para que sobre tempo para a família, amigos e para você mesmo.

Pessoas tóxicas, que só te trazem mal-estar.

Alimentação rica em gordura e açúcar. Você percebe que uma alimentação mais saudável te dá mais disposição e saúde para colocar em prática seus planos.

Lixo, por não comprar coisas desnecessárias que serão eventualmente descartadas. Além disso, depois que eu diminuí o consumo de alimentos industrializados a quantidade de embalagens também foi reduzida.

Gastos, quando você passa a comprar apenas o necessário, sem desperdício, seu dinheiro até sobra! Sobra uns 50 reais…mas sobra hehe.

Ser minimalista é isso, você passa a ter menos coisas, que vão gerar menos problemas te dando mais tempo e mais liberdade. Essa tem sido uma experiência transformadora!

 

 

Paleta de cores e armário-cápsula: Último outono/inverno

Nesse último outono/ inverno eu fiquei meio viúva…usei muito preto hehehe! Eu detesto frio e por isso nunca investi em muitas peças para estas estações. Aqui no Rio de Janeiro os dias de frio intenso são poucos. Tenho apenas uma gaveta com blusas mais quentinhas e uns 3 casacos no cabide. Com relação aos calçados de inverno, tenho apenas uma botinha preta.  Analisando minhas roupas eu vi que já seguia uma paleta de cores sem querer.

A paleta de cores é o conjunto de cores que irão compor as peças do seu guarda- roupa. Ela não tem o objetivo de te prender e nem ditar nada, é obvio que isso é uma coisa flexível. Ao utilizá-la você irá poupar tempo na hora de combinar peças, dinheiro (Já comprou alguma coisa e não conseguiu usar por que não combina com nada?) e espaço, tendo mais roupas que combinam entre si não será necessário ter tantas peças.Eu senti que estava fácil me vestir e até lavar a roupa (conseguia separar em claras, escuras e brancas), tudo estava em harmonia.

Minha paleta de cores ficou assim: vinho, preto, azul marinho, azul royal, tons mais claros de  jeans e cinza.

paletadecores_outinv2016

Poucas peças saíram dessas cores. Pensei até em comprar algo caramelo para dar uma clareada no visual, mas como eu estou tentando ficar sem comprar até acabar o período de destralhe, vou esperar o próximo inverno. Quase comprei uma calça jeans escuro também, tenho duas que não estavam me servindo. Depois que comecei a emagrecer elas já entram, mas ainda não estão confortáveis. No próximo inverno já tenho mais duas calças para usar.

Além de ter roupas que facilmente combinam entre si, ter uma meia calça preta fio 40, que é mais grossa, me ajudou muito. Consegui usar vestidos curtos de verão com ela nos dias menos frios.

Tenho mudado também a forma que escolho meus calçados. Eu sempre gostei de colocar uma cor no visual através deles. Já fui viciada em Melissas e tinha uma de cada cor. Ter calçados coloridos é lindo, só não é prático. Eu tenho sapatilhas e sandálias verde, amarela, vinho, prata, dourada, florida…um arco-íris muito louco e várias vezes me via “sem nada para calçar”. Desde que comecei a investir em itens na cor preta ficou mais fácil me vestir e combinar peças. Estou amando meus pretinhos!

calcadospreto

A qualidade do que compro é outro fator que tenho levado em consideração, eu achava  que não tinha dinheiro para comprar produtos de qualidade (que geralmente são mais caros) até eu perceber que juntando o preço de itens baratos que  duram menos eu poderia comprar algo mais durável. Tenho uma sandália de couro que é eterna! Na verdade não quero que minhas coisas durem 50 anos, mas algumas peças merecem um investimento a mais.  O minimalismo me ensinou que é melhor ter menos, com mais qualidade.

Com estas pequenas mudanças eu estou me preparando para ter um guarda-roupa minimalista, prático e apenas com peças que amo. Não quero ser precipitada e fazer tudo de qualquer jeito só porque está na moda ter um armário-cápsula (esse link aqui explica tudo de um jeito bem fácil). Eu havia até tirado várias coisas e guardado para reduzir o número de peças no meu armário. Acabou que eu achei que estava sem roupa para usar e quase comprei peças que já tenho.

No Brasil, onde o clima muda o tempo todo, fica difícil separar as peças por estação e guardar todo o resto. Tive que sair procurando um monte de coisas que eu tinha “escondido”, eram  peças úteis que eu estava precisando por conta de uma mudança de clima inesperada. Aprendi que não é só escolher 37 peças por estação, eu preciso de mais tempo para me organizar.

Quero que essa seja uma mudança para a vida toda e quero que minha filha cresça com esse senso de organização e praticidade também. Como todo o resto, quero que tudo isso seja parte da minha rotina, da minha vida, estou construindo um estilo de vida para mim e para a minha família. Ter um armário minimalista irá me dar mais tempo e dinheiro para as coisas que realmente importam.

Desafio de Outubro: Vamos brincar?

No desafio de Agosto o foco foi nas finanças, no de Setembro dediquei um tempo considerável a mim mesma com o início do meu processo de reeducação alimentar e emagrecimento.

Esse mês tem uma pessoinha que merece mais atenção, a Bia, minha filha. Não que eu esteja negligenciando ela, mas não temos tempo suficiente para brincar e relaxar juntas.

Ainda estou no processo de destralhe da casa e com isso passo várias horas organizando as coisas. Eu trabalho apenas na parte da noite, mas sempre tenho aulas para preparar. Tenho evitado alimentos industrializados e isso é maravilhoso (já mandei 5kg embora!), só que leva mais tempo no preparo das refeições. Abrir uma lata de milho é bem mais fácil que limpar a espiga e cozinhar.

Como eu passo o dia em casa estou sempre juntando os brinquedos, lavando roupa, lavando vasilha (parece que se reproduzem dentro da pia), dobrando e guardando roupas…enfim, as coisas nunca acabam! Ainda tem os cuidados básicos com a Bia como trocas de fralda, banho, dar comida, por para dormir…quando vejo já está na hora de me arrumar para ir trabalhar.

Eu já tinha pensado nesse assunto… eu quase não brinco com a minha filha. Esse alerta já está na minha cabeça há algum tempo. Agora que ela anda e interage mais, poderíamos estar fazendo muitas coisas juntas. Domingo minha sogra olhou para ela e reforçou algo que todos nós já sabemos: “Aproveita cada fase porque passa muito rápido”. Eu sei! Ontem meu celular me lembrou de fotos de um ano atrás…ela era um pinguinho de gente. Não andava, não falava, mal sentava. Hoje ela já faz bobeira, canta, dança, se impõe, faz denguinho…já não tem mais características de um bebê.

Então é isso, o desafio de Outubro será brincar mais com a Beatriz (1 ano e 5 meses). Vou tentar mudar nossa rotina diária para sobrar mais tempo para ela. Ontem mesmo já deixei o almoço adiantado. Cozinhei a couve flor, congelei o espinafre e lavei as verduras para hoje dar mais atenção a ela. Fazer almoço com aquela coisinha pendurada em mim pedindo atenção estava me matando!

Eu não trabalho nas Sextas e por isso vou tentar fazer brincadeiras mais elaboradas nesse dia. Ainda estou pesquisando ideias e depois conto tudo aqui! A vida é assim, precisamos parar de reclamar e nos organizar mais. Devemos focar em nossas necessidades e mudar o que pode ser mudado. E que comece o desafio, vamos brincar?

5 dicas de uma pessoa normal para começar a emagrecer

seameblog3Eu não sou nenhuma musa fitness (hehehe não mesmo), mas nesse último mês aprendi muito com o início da minha dieta. Já li muitas dicas de pessoas famosas, mas a maioria não se encaixa com a vida de uma pessoa “normal”.  Há muitos anos venho lutando para iniciar o processo de emagrecimento e ter uma vida mais saudável e só agora cuidando da minha filha eu percebi como isso é realmente importante. Ela não fica doente e isso fez com que uma luzinha se acendesse em mim.

Com alguns alertas relacionados a minha  saúde (falta de cálcio nos ossos e má circulação) veio também a indicação dos médicos: Eliminar o sobrepeso e…exercício!

Comecei o projeto Me Minimizando com o desafio de setembro e  foi um sucesso! Aqui deixo algumas coisas que aprendi com esse recomeço…

Planeje! Pense o seu cardápio da semana com antecedência, compre o que será usado. Repita o cardápio se necessário, isso facilita a sua vida e não tem problema algum. Fazer dieta não é caro como muitas pessoas falam. Só é caro se você for ao mercado e comprar um monte de produtos industrializados que dizem ser bom para uma vida mais saudável. Legumes e vegetais são mais baratos que isso. Biscoitinhos, barrinhas, pães integrais e iogurtes não são tão legais como mostram nas propagandas. Faça a sua comida.

Cozinhe! Isso mesmo, cozinhe. Sei que muita gente não tem tempo, mas a comida pode ser congelada. Você pode congelar alguns legumes e verduras cozidos, carne pronta, feijão e fazer apenas um complemento no dia se necessário. Eu congelo tudo, até o pãozinho semi-integral que faço. Depois é só colocar 20 segundos no micro-ondas e eles ficam fresquinhos!

Faça exercícios! Isso tem sido o mais complicado para mim. Eu não quis investir em uma academia nesse começo, primeiro quero emagrecer e criar o hábito de comer melhor. Como eu só tenho de 6 às 7 da manhã para caminhar nem sempre estou disposta a acordar tão cedo mas tenho me esforçado. Você tem que fazer o que funciona para você, analise a sua necessidade e seu tempo, comece devagar. Acredito que muitas vezes erramos por ir com muita cede ao pote e com isso acabamos desistindo de tudo! Eu já perdi a conta de quantas vezes fiz isso.

Acorde cedo! Nossa, que maluquice eu falar isso…sempre odiei acordar cedo, mas tenho percebido os benefícios. Minha bebê acorda 9:30 e depois disso parece que um furacãozinho está passando pela casa. Resultado, não consigo fazer mais nada. Comecei a acordar às 7 em alguns dias e isso tem sido ótimo. Ainda preciso administrar melhor a hora de ir dormir. Minha vida inteira fui deitar tarde mas sei que isso não é saudável, estou mudando.  Acordando cedo eu consigo caminhar ou apenas fazer uma série de alongamentos em casa mesmo (achei esse no You Tube), consigo assistir um pouco de tv, escrever para o blog, olhar as redes sociais, ler e planejar meu dia. Como todo o resto, é um hábito que precisa ser incorporado na rotina.

Reclame menos, se ame mais e mude o que você pode.

Se ame! Gorda, magra, durinha, molinha, nova, velha…se ame! Reclame menos, se ame mais e mude o que você pode. Quando a gente se ama o processo de emagrecimento deixa de ser uma urgência ou exigência de terceiros e passa a ser um processo. Um processo de autoconhecimento, mudança de hábitos e um verdadeiro aprendizado. Nossa mente pode ser nosso pior inimigo, mas também pode ser uma grande aliada!

O importante é fazer tudo de forma consciente e com prazer. Nada de sacrifícios, quando estamos empenhados e motivados, vemos as coisas de forma diferente. Vá ao médico, leia sobre o assunto e tente adaptar tudo ao seu estilo de vida. Estamos aqui para sermos felizes e se algo está te incomodando, mude!

 

 

Desafio: Começando a dieta (Última Semana)

Finalmente chegamos na terceira semana. O desafio desse mês era apenas começar a dieta e isso eu consegui fazer com sucesso! Esse será um processo longo, pretendo chegar aos 60Kg até dia 31 de Dezembro (desse ano hehehe). Comecei esse desafio com 75Kg (tenho 1,65cm de altura) e agora estou com 71Kg!

Registrar o que venho fazendo e principalmente tirar fotos e montar uma colagem no final do dia foi fundamental nesse início. Muitas vezes eu queria sair da dieta, mas para não estragar a foto eu acabava desistindo de comer. O blog tem sido uma surpresa muito agradável, escrever aqui me estimula a pesquisar mais e me esforçar para que essa não seja outra tentativa fracassada.

Meu cardápio nesse final de mês ficou assim:

cardapio-dieta-dia-11

Apenas proteína e legumes na parte da noite.

cardapio-dieta-dia-12

Assei uns biscoitinhos de polvilho na parte da manhã para comer durante a semana. Depois que esfria fica murcho e não deu muito certo. De noite meu marido fez feijão sujo, tipo uma feijoada. Para não cair em tentação fiz meu feijãozinho também. Usei a carne moída que tenho comido durante a semana, molho Tabasco e couve picada fininha. Quase coloquei mussarela, mas desisti. 

cardapio-dieta-dia-13

Na parte da tarde minha filha come biscoito de polvilho e eu acabo roubando alguns.

cardapio-dieta-dia-14

Na parte da noite não tinha nada pronto e então peguei vários pedacinhos de legumes na geladeira e fiz uma sopinha. Coloquei um pouco de macarrão integral e músculo pronto congelado. Ficou uma delícia!

cardapio-dieta-dia-15

Na parte da tarde rolou a farra do carboidrato, mas de noite tomei minha sopinha linda de novo.

 

Nesse início tenho tomado o suplemento Thermo Maxx  que controla o apetite e ele me ajudou bastante. Na primeira semana era difícil esperar a hora do lanche da tarde. Eu também sentia um pouco de fome antes de dormir. Com ele isso acabou. Além dele, já tem uma semana que comecei a tomar o T_Sek  para diminui a retenção de líquido, mas ainda não consegui sentir muita diferença.

Faltou mais exercício essa semana, só fui caminhar uma vez. Minha semana no trabalho foi um pouco estressante e eu não consegui acordar cedo. Comecei a procurar uns vídeos de yoga no You Tube para fazer em casa. Se der certo eu conto aqui.

Olha, eu não imaginava que eu seria tão consistente. Percebi como é importante mudar a nossa relação com a comida. Agora enquanto escrevo, mesmo sem fome, estou querendo fazer um macarrão com bacon para comemorar o sucesso da dieta…loucura total! Lógico que eu não vou fazer, essa é a Gabriela antiga falando. A Gabriela nova quer outras coisas.

Desde que resolvi mudar minha vida fui vendo o que estava em desequilíbrio para eu traçar um plano de mudança. Meu descontrole em relação à alimentação é um ponto importante. Aqui começa não só um processo de emagrecimento, mas também uma mudança de pensamentos (gordos) que não trazem benefícios para a minha saúde. Termina aqui um desafio e começa outro. O que quero é que todas essas mudanças virem hábitos e façam parte da minha vida para sempre. O ponta pé inicial já foi dado!  Bye bye 4 quilos!